quinta-feira, 21 de abril de 2011

De onde vem a expressão "ver o circo pegar fogo"?

Transcreverei aqui a reportagem publicada na revista Língua Portuguesa sobre esta curiosa expressão.

Ver o circo pegar fogo
Ou como Nero continua influenciando o imaginário popular
No ano 64 de nossa era, um terrível incêndio destrói parte de Roma. Milhares de pessoas, aterrorizadas e com o corpo em chamas, atiram-se às águas do rio Tibre e acabam morrendo afogadas. O episódio é magistralmente reconstituído no filme Quo Vadis.
Da sacada de seu palácio imperial, Nero aparece extasiado com a cena dantesca. Insano, toma sua lira e improvisa uma canção diante de atônitos auxiliares, dentre os quais o arquiteto Phaon, autor do projeto de uma nova Roma, "livre da gentalha e de tanta imundície".
Em meio ao tumulto, corre o boato de que fora o próprio Nero o mandante do incêndio. Nessa altura, a turba ululante parte para fazer justiça com as próprias mãos.
Em pânico, Nero cinicamente se declara "pronto para punir exemplarmente os culpados".
É quando uma sádica imperatriz Popeia traz a sugestão de inimaginável monstruosidade: atribuir a culpa da tragédia aos cristãos, ideia que logo se transforma na versão oficial e os atira às garras de leões famintos no Coliseu.
Além desse pavoroso episódio histórico, a expressão "ver o circo pegar fogo" traz também a lembrança da expressão "alegria do palhaço é ver o circo pegar fogo".
A ninguém, evidentemente, teria ocorrido a expressão inteira, pois ela sempre é proferida em sentido totalmente oposto.
No caso, pegar fogo quer dizer que "a festa pegou fogo", que "todo mundo se esbaldou", e não passa pela cabeça de ninguém a mais mínima fagulha.

Revista Língua Portuguesa. Ver o circo pegar fogo. Texto de Márcio Cotrim. Editora Segmento. Ano 5, n. 65, março de 2011, p.39.

Então, é isso. Um excelente feriado e até o próximo post!

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Você sabe o que é um tuxaua?

No post passado, eu relembrei o conceito de hiato e de falso hiato, mas, no texto, entraram duas palavrinhas diferentes: feiúra, ainda com acento, e tuxaua.
Para não deixar dúvida, a palavra feiúra, até agora escrita com acento, passará a ser escrita sem acento, de acordo com o novo acordo ortográfico. Essa mudança é justificada pelo fato de não se acentuar mais o i e o u tônicos em paroxítonas (quando a penúltima sílaba é a mais forte na palavra) quando precedidos de ditongo (uma vogal e uma semivogal  OU uma semivogal e uma vogal na mesma sílaba).
Por esse motivo, a palavra em questão passará a ser escrita sem acento, ou seja, feiura. De acordo com essa regra, baiúca passará a ser baiuca (taverna), sem acento.
Sobre o que é tuxaua, reescreverei aqui o que diz o Minidicionário Aurélio:
tuxaua sm. Bras. 1. V. morubixaba. 2. Pej. Chefe político.
morubixaba sm. Bras. Chefe temporal dos povos indígenas brasileiros; cacique, tuxaua.

Então, é isso!
Um excelente final de semana e
até o próximo post!

terça-feira, 5 de abril de 2011

Falso hiato?

Esses dias, estudando um pouco sobre fonética e fonologia, comecei a reler conceitos que aprendemos logo no início dos nossos anos de estudo, como vogal, semivogal, encontros vocálicos, encontros consonantais, ditongo, tritongo, hiato e... falso hiato. Isso mesmo, falso hiato, um conceito sobre o qual pouco ouvimos falar.
Escreverei aqui na íntegra o texto do professor José Almir Fontella Dornelles sobre o assunto. Vejam:
Hiato
É a sucessão de dois sons vocálicos pronunciados separadamente, formando sílabas independentes.
SA-A-RA                      DO-ER                              RA-I-NHA
   vgl                                  vgl                                      vgl

O falso hiato
Quando a sequência dos sons vocálicos for semivogal e vogal, costuma-se chamar "falso hiato", uma vez que, na realidade, existem dois ditongos.

SEREIA: /SE/REY/YA/
                         "iode" 1
MAUÁ: /MAW/WA/
                      "vau" 2

Considerações sobre o falso hiato
1. Separação silábica: maio (mai-o), sereia (se-rei-a), Piauí (Pi-au-í), goiaba (goi-a-ba), praia (prai-a)...
2. Classificação: embora na realidade fonética não exista o hiato e, sim, dois ditongos, é prática comum considerá-lo hiato, o que é confirmado quando se acentuam vocábulos como fei-ú-ra e Pi-au-í (regra dos hiatos).
3. Número de fonemas: quanto ao número de fonemas, não há dúvidas, tanto o iode como o vau acarretam sempre o aumento de um fonema na palavra:
praia - 5 letras - /pray/-/ya/= 6 fonemas
tuxaua - 6 letras - /tu/-/xaw/-/wa/= 7 fonemas

1 e 2. iode e vau significam, em gramática, o desenvolvimento dos fonemas semivogais /y/ e /w/, a partir de um ditongo descrescente, os quais irão formar um ditongo crescente com a vogal seguinte. Aparecem, assim, os chamados "falsos hiatos":  rai-o (ray-yo), gai-o-la (gay-yo-la) ...

Fonte: DORNELLES, José Almir Fontella. A gramática do concursando. Brasília: Editora Vestcon, 2006, 16. edição, p. 19 e 20.

Depois nós veremos, na próxima postagem,  que a acentuação da palavra feiúra mudará de acordo com a nova ortografia.

Então, é isso!
Abraço a todos e uma excelente semana!