quinta-feira, 21 de abril de 2011

De onde vem a expressão "ver o circo pegar fogo"?

Transcreverei aqui a reportagem publicada na revista Língua Portuguesa sobre esta curiosa expressão.

Ver o circo pegar fogo
Ou como Nero continua influenciando o imaginário popular
No ano 64 de nossa era, um terrível incêndio destrói parte de Roma. Milhares de pessoas, aterrorizadas e com o corpo em chamas, atiram-se às águas do rio Tibre e acabam morrendo afogadas. O episódio é magistralmente reconstituído no filme Quo Vadis.
Da sacada de seu palácio imperial, Nero aparece extasiado com a cena dantesca. Insano, toma sua lira e improvisa uma canção diante de atônitos auxiliares, dentre os quais o arquiteto Phaon, autor do projeto de uma nova Roma, "livre da gentalha e de tanta imundície".
Em meio ao tumulto, corre o boato de que fora o próprio Nero o mandante do incêndio. Nessa altura, a turba ululante parte para fazer justiça com as próprias mãos.
Em pânico, Nero cinicamente se declara "pronto para punir exemplarmente os culpados".
É quando uma sádica imperatriz Popeia traz a sugestão de inimaginável monstruosidade: atribuir a culpa da tragédia aos cristãos, ideia que logo se transforma na versão oficial e os atira às garras de leões famintos no Coliseu.
Além desse pavoroso episódio histórico, a expressão "ver o circo pegar fogo" traz também a lembrança da expressão "alegria do palhaço é ver o circo pegar fogo".
A ninguém, evidentemente, teria ocorrido a expressão inteira, pois ela sempre é proferida em sentido totalmente oposto.
No caso, pegar fogo quer dizer que "a festa pegou fogo", que "todo mundo se esbaldou", e não passa pela cabeça de ninguém a mais mínima fagulha.

Revista Língua Portuguesa. Ver o circo pegar fogo. Texto de Márcio Cotrim. Editora Segmento. Ano 5, n. 65, março de 2011, p.39.

Então, é isso. Um excelente feriado e até o próximo post!

Nenhum comentário:

Postar um comentário